Mês: Outubro 2021

Associação Cultural, Recreativa e Social da Senhora da Piedade

 

No seguimento da Revolução de Abril de 1974, a sociedade portuguesa verificou uma forte expansão do movimento associativo em diversos domínios da vida social, com a criação e/ou redinamização de milhares de associações e coletividades, muitas das quais assumiram um papel decisivo na educação e formação de um número muito significativo de jovens e adultos e no desenvolvimento de importantes dinâmicas educativas locais, configurando o que Canário (2007, p. 11) identifica como o “período de ouro da educação de adultos em Portugal”.

 

 

No Concelho da Sertã a Freguesia do Cabeçudo com 9,95 km2 de área e 906 habitantes (2021), tem cerca de 91 habitantes por km2, foi criada há vinte anos uma Associação graças ao Pároco da altura, o Sr. Padre Miguel Farinha hoje com 79 anos, um apaixonado pelo futebol que foi também o impulsionador da construção do campo de futebol do Cabeçudo.

Nesta zona do interior do País onde reina a acalmia típica das zonas rurais podemos visitar a Quinta de Santa Terezinha, a fonte datada de (MDCCXXII), a Igreja Matriz, o campo de jogos, o eucalipto centenário a Capela de Santo Estevão, podemos ainda usufruir da grandiosa festa que se realiza todos os últimos fins de semana do mês de agosto a Festa em honra da N.a Sr.a da Piedade – Stº Estevão, festividade que não se realiza desde o surgimento do vírus (Covid-19) que obrigou cessar todas as atividades culturais.

Esta Freguesia conta ainda com duas estruturas sociais profundamente importantes para a população; o Centro de Dia que acolhe os idosos protegendo-os da solidão, a Escola Básica e o Jardim de Infância que de tão próximos trocam as gargalhadas das crianças no recreio da escola com o sossego dos mais velhos.

Foi neste contexto que nasceu há 20 anos a Associação Cultural, Recreativa e Social da Senhora da Piedade esta associação dedica-se ao setor cultural e recreativo e tem a responsabilidade de promover atividades dedicadas ao convívio onde ao longo do ano se junta a população para desfrutar de atividades muito distintas.

 

Este trabalho de intervenção social, está direcionado para o lúdico onde se sente a hospitalidade destas gentes, a união da população a partilha de saberes e onde é estimulada a relação entre as diferentes faixas etárias.

Como podemos ler na página do facebook “Associação do Cabeçudo, uma Instituição criada pelo Povo para o Povo, Recebe e Promove Eventos para toda a Comunidade da Região Centro” rede social muito usada para dinamizar as atividades e esclarecer os sócios referiu o atual Presidente da Associação Sr.º Jorge Manuel Ferreira Pires, que nos explicou que há eleições de dois em dois anos dos órgãos sociais e que é desta forma que fica criado o grupo responsável pela dinamização, organização e gestão de tudo o que está inerente à Associação.

As atividades que se realizam ao longo do ano, preferencialmente uma ou duas por mês, são tão diversas como; bailes, passeios de motorizadas, homenagens e atividades comemorativas do dia da mulher, participação do carnaval do Outeiro da Lagoa (no ano 2020 com A brigada do Reumático), rota das adegas, dia do sócio, torneio de sueca, passeio pedestre, festa do Cabeçudo, magusto e muito mais, todas ligadas á época e estação do ano vivida na altura.

As atividades grupais cumprem e preenchem uma necessidade referenciada na pirâmide de Maslow (a necessidade social), que é a necessidade de nos relacionarmos com pessoas, comunicar, partilhar emoções e descobertas, o afeto acompanha o desenvolvimento do indivíduo, o equilíbrio social e promovem a saúde física e mental. Quando estas necessidades são satisfeitas existe na pessoa, uma predisposição positiva em qualquer papel que ocupe na sociedade (na família, no trabalho com amigos e até com desconhecidos) é desta forma que atingimos a estima, e nos sentirmos dignos, autoconfiantes, independentes, autónomos, apreciados, respeitados por nós e pelos outros, com prestígio, reconhecimento, poder e orgulho.

Pertencer, colaborar, fazer parte de uma Associação desta natureza ainda que de forma mais passiva do que ativa é uma forma de cidadania e de partilha de experiencias de vida e de conhecimentos. Neste território tão ruralizado as pessoas dedicam muito do seu tempo às atividades agrícolas e á criação de animais tarefas que são por natureza solitárias, o convívio a alegria, as gargalhadas, alimentam e fortalecem o ser humano dando-lhe energia e boa disposição.

A Associação Cultural, Recreativa e Social da Senhora da Piedade tem conseguido unir a população envolvendo-a na realização das atividades e nas criação e manutenção do espaço físico da Associação onde se pode sentir o conforto e segurança para uns momentos de alegria e partilha.

Liderada por um grupo de pessoas dedicadas e responsáveis que primam por inovar na escolha das atrações culturais e na diversidade das atividades, já conseguiram trazer artistas a esta aldeia como o Quim Barreiros, Ruizinho de Penacova, David Antunes, Dj Silver Fox entre outros, “medido sempre muito bem as nossas possibilidades” como referiu o Presidente da Associação Sr. Jorge Pires.

Este trabalho iniciado há 20 anos vai continuar assim que a pandemia o permitir, porque as pessoas desejam estes encontros onde a alegria reina, onde se pratica exercício nas caminhadas que terminam com um almoço convívio na sede da Associação.

“Estamos todos com muita vontade de voltar a ter este espaço cheio de gente, sentir a alegria das crianças e dos mais crescidos também” referia o Presidente sorrindo e explicando que faz falta para todos, acrescentou que o trabalho não tem parado e que a cozinha está quase equipada para que na diversão e no convívio tudo seja ainda melhor.

Que não finde a vontade de continuar a “alimentar” esta ação de concretização de atividades coletivas sociais que são tão benéficas para todos onde a cultura o desporto, e sobretudo partilha de saberes e de amizade, fantasia e nutre o anseio do próximo evento.

Ana Vitorino, 06/08/2021

Fontes:

– Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População)

–  https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes

– https://www.facebook.com/associacao.cabecudo/

– Canário, Rui (Ed.) (2007). Educação popular e movimentos sociais. Lisboa: Educa.

Ana Vitorino, 06/08/2021

Donativo à nossa associação!

Pouco depois de assinalarmos os 40 anos da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Cernache do Bonjardim, fomos agraciados com um donativo benemérito da D. Maria Helena Ramos que generosamente se propôs a oferecer à nossa Associação uma Ambulância de Socorro devidamente equipada e um DAE (Desfibrilhador Automático Externo), para servir toda a comunidade. A D. Maria Helena Ramos releva nesta generosa oferta os serviços prestados pelos Bombeiros de Cernache do Bonjardim na sua convalescença.
Agradecemos e relevamos este gesto que é um reconhecimento para todos nós e que nos permite continuar a cumprir a nossa missão e anseio de ter os melhores equipamentos disponíveis ao serviço dos nossos operacionais e comunidade em geral.
O nosso muito obrigado!