Mês: Dezembro 2022

As três albufeiras que banham o Concelho da Sertã

A Freguesia de Cernache do Bonjardim Nesperal e Palhais pertence ao Concelho da Sertã, com uma área territorial com cerca de 450.50 km2, enquadrada no pinhal interior sul, no centro de Portugal.

O Concelho é banhado de norte a sul por toda a parte oeste, pelo majestoso rio Zêzere que nasce na Serra da Estrela junto ao Cântaro Magro, confluindo com o rio Tejo a oeste de Constância, após um curso de cerca de 200 km.

O Zêzere é o segundo rio exclusivamente português e representa uma notável riqueza hidroelétrica, aproveitada nas três barragens; Bouçã, Cabril e Castelo do Bode.

Estas três barragens construídas no século passado conferiram ao Concelho da Sertã o privilégio de lograr, de um vasto acumulo de património hidrosférico e enriqueceram o nosso território com paisagens deslumbrantes e outros recursos delas provenientes como a atividade piscatória, atividades de lazer nas praias fluviais e atividades aquáticas desportivas, etc.

As bacias hidrográficas chamadas de barragens, represas ou açudes são barreiras artificiais construídas em cursos de água para a retenção de grandes quantidades de água. A água aí retida forma um lago artificial que tem várias finalidades, a principal é garantir o abastecimento de água de zonas residenciais.

As atividades agrícolas e as atividades industriais a produção de energia elétrica (energia hidráulica) a regularização de um caudal, a prevenção das cheias são, assim como o recreio o lazer, o desporto e a pesca lúdica, também funções destas construções.

A água é um bem essencial e não deve faltar ao ser humano, nem a nenhum ser vivo!

Sendo a água extremamente importante para o planeta e para todos os seres vivos que nele habitam, é crucial que todos os seres humanos compreendam essa importância e respeitem esse bem que escasseia em muitas zonas pondo em causa a sobrevivência de seres vivos, a conservação da biodiversidade e, o equilíbrio do clima.

As diferentes formas de vida são dependentes da água, presente nos mais variados ecossistemas, é a água um elemento fundamental e identificativo de vida, pois em novos planetas o recurso demonstrativo de vida é a existência de água nos seus diferentes estados. Os três estados físicos da água na natureza são; líquida nos oceanos e rios e nas gotículas das nuvens, sólida no gelo e gasosa no vapor de água na atmosfera (invisível).

Os alimentos são ricos em água, dependendo da espécie, a água poderá representar 98% da totalidade do alimento. No corpo humano varia entre 50 e 75%, dependendo da idade e sexo. Há também seres microscópicos, como bactérias compostas por até 75% de água.

O planeta Terra tem cerca de 70% da sua superfície coberta por água, mas 97,5% dessa quantidade é de água salgada que se encontra em maior parte nos mares e oceanos. A água doce representa apenas 2,5% e está dividida da seguinte forma; 68,9% geleiras e calotas polares, 29,9% em águas subterrâneas, 0,3% em rios e lagos e 0,9% em locais como pântanos e umidades do solo.

Não podemos esquecer também que a água não se encontra distribuída uniformemente no mundo. Em alguns lugares da terra há grande disponibilidade de água doce, mas em muitos outros a escassez deste bem é uma realidade, como em regiões semiáridas e nos desertos.

Nesta pequena reflexão sobre a água e a sua importância, não podemos deixar de referir o ciclo da água que, para a maioria de nós se resume ás estações do ano. As quatro estações refletem um ciclo hidrológico no qual a água circula pela atmosfera e litosfera, este é um longo processo composto por várias fases e é um fator determinante para o clima da Terra, uma vez que é responsável por uma parcela importante da circulação de energia na atmosfera.

A pluviosidade sentida em determinadas épocas do ano, nomeadamente na nossa região, reabastece os níveis de água das três albufeiras o que nos deixa mais tranquilos em relação ás épocas de verão que são cada vez caraterizados por secas severas e temperaturas muito altas para o que era “normal” para o verão.

Os 5 verões mais quentes da Europa dos últimos 500 anos ocorreram nos últimos 15 anos, sem incluir o último verão. Todos foram mortíferos. A vaga de calor de 2003 foi a pior, onde mais de 70.000 pessoas perderam a vida.

Todos nós temos o dever e a responsabilidade de respeitar este recurso hídrico crucial para a sobrevivência dos seres vivos, poupando-o e fazendo um uso consciente e responsável deste bem maior.

Diante desta necessidade, surgem com maior frequência iniciativas de conscientização do valor da água e da importância de sua conservação, como nas atividades realizadas no Dia Mundial da Água, que demostram a gradual mudança da mentalidade coletiva no sentido de que é necessário o uso racional dos recursos hídricos terrestres.

A perceção do público sobre os rios em geral vem mudando continuamente de forma que passam a ser vistos como corredores ecológicos e culturais que precisam ser conservados e protegidos, sobretudo no ambiente citadino.

Desta forma, o século presente promete uma nova revolução no modo como a humanidade faz uso dos recursos hídricos globais.

Muito haveria a dizer sobre este bem imprescindível para a vida nas suas mais variadas formas!

Estamos em dezembro de 2022 e podemos dizer que no nosso Concelho a água tem dado lindíssimos espetáculos na sua passagem, a fartura que podemos conferir nos muitos cursos de água, reflete-se nas três barragens que temos o privilégio de ter nas fronteiras do nosso Concelho, e que estão neste momento na sua cota máxima dado um espetáculo natural que é procurado por muitos curiosos que se deslocam ao local para registar as imagens da majestosa queda de água que trasborda por cima dos paredões ou pelas laterais.

Como foi noticiado no dia 19 deste mês; “CERNACHE DO BONJARDIM – Barragem da Bouçã volta a dar espetáculo natural” e hoje “SERTÃ: Barragem do Cabril já descarrega pela lateral” pela Rádio Condestável.

Seguidamente deixamos a caraterização e a ficha técnica das três barragens que estão situadas nos limites do Concelho da Sertã com outros Concelhos. Esta fronteira concelhia é estabelecida pelo rio Zêzere onde temos a oeste Ferreira do Zêzere e noroeste Figueiró dos Vinhos e Pedrogão Grande.

 

Bouçã



Barragem da Bouçã (fonte EDP)

A barragem da Bouçã une os distritos de Castelo Branco e de Leiria, situada a poucos quilómetros de Cernache do Bonjardim, exibe o fenómeno natural de descarregar por cima e, quando acontece esta situação atrai ali sempre, centenas de pessoas que querem registar o espetáculo que acontece quando o caudal excede o normal, e a água galga o descarregador central (paredão), provocando uma queda natural. Este fato acontece quando a pluviosidade é constante e em grande quantidade durante um grande período de tempo.

Esta barragem, construída em 1955 é das poucas no país que descarrega por cima, possuindo um descarregador central de cheia que permite um caudal máximo descarregado de 2.200 m³/seg.

Esta infraestrutura está construída em forma de arco abobadado, junto à pequena localidade de Bouçã, e situa-se a jusante da Barragem do Cabril e a montante da barragem de Castelo do Bode.

Informação Técnica:

-Entrada em Serviço: 1955

-Potência Instalada: 44 MW

-Curso de Água: Zêzere

-Produtibilidade Média Anual: 141 GWh

-Localização (Coordenadas GPS): 39°51’13”N, 8°13’11”W

-Tipo de Grupos: Simples

-Armazenamento Total: 7,9 hm³

 

Cabril

Barragem da Cabril (fonte EDP)

Considerada uma das maiores barragens portuguesas, a barragem do Cabril situada entre Leiria e Castelo Branco, começou a operar em 1954, numa obra de arquitetura construída com o objetivo de ser uma reserva de água doce com os mesmos objetivos das demais, acabou por dar lugar a um amplo espaço de lazer ao ar livre, ideal para os amantes da natureza.

Acampar, caminhar, fazer um piquenique ou jogar uma partida de ténis são algumas das possibilidades para quem visita e quer ficar junto à Barragem do Cabril. Neste lago muito procurado para passeios de barco à vela, a motor ou a remos, a pesca (em especial do achigã) é uma atividade que enriquece a gastronomia da região, fazendo parte de alguns pratos gastronómicos típicos deste Concelho.

Informação Técnica:

-Entrada em Serviço: 1954

-Potência Instalada: 108 MW

-Curso de Água: Zêzere

-Produtibilidade Média Anual: 289 GWh

-Localização (Coordenadas GPS): 39°55’4”N, 8°7’58”W

-Tipo de Grupos: Simples

-Armazenamento Total: 615 hm³

Castelo do Bode

Barragem de Castelo do Bode (fonte EDP)

 

Situada a jusante das barragens; Bouçã e Cabril, a barragem de Castelo do Bode começou a operar a 21 de janeiro de 1951 tem como principal função o abastecimento de água, designadamente a Lisboa, produção de energia elétrica, defesa contras as cheia e atividades recreativas.

É utilizada pelos adeptos de desportos como o windsurf, vela, remo, motonáutica e jet ski, bem como da pesca desportiva (truta, achigã, enguias e lagostim vermelho).

Situa-se nos limites dos concelhos de Tomar e Abrantes no distrito de Santarém. É uma das mais altas construções de Portugal. No concelho da Sertã

 

Informação Técnica:

-Entrada em Serviço: 1951

-Potência Instalada: 159 MW

-Curso de Água: Zêzere

-Produtibilidade Média Anual: 361 GWh

-Localização (Coordenadas GPS): 39°32’34”N, 8°19’7”W

-Tipo de Grupos: Simples

-Armazenamento Total: 902,5 hm³

 

Fontes:

https://turismodocentro.pt/artigo/barragem-do-cabril-uma-das-maiores-barragens-portuguesas/

https://portugal.edp.com/pt-pt/historias-edp/mil-e-uma-funcoes-de-uma-barragem

https://turismodocentro.pt/

Programa especial da albufeira de Castelo de Bode (Modelação especial da qualidade da água da Albufeira de Castelo do Bode) – Lisboa, maio de 2019

nationalgeographic.com